quarta-feira, outubro 14

INSS é um programa criado pelo governo junto ao ministério da economia e Datapreve ( empresa de tecnologia), que através de contribuições do cidadão tenta evitar a pobreza extrema no país.

Esta autarquia recebe as contribuições para a manutenção do Regime Geral da Previdência Social que fica responsável pelo pagamento de:

  • Aposentadorias
  • Pensão por morte
  • Auxilio doença
  • Auxilio acidente
  • Auxilio reclusão
  • Salário Maternidade
  • Entre outros benefícios.

O instituto conta com mais de 1500 unidades em todo o país chamadas de Agência da Previdência Social, com cerca de 35 mil servidores ativos, que atendem mais de quatro milhões de pessoas mensalmente dos 40 milhões de contribuintes.

Para o que serve o INSS?

No Brasil a taxa de pobreza é muito alta, bem como o desemprego e através deste programa esta taxa vem diminuindo radicalmente.

Trata-se de um mecanismo democrático que ajuda a minimizar a desigualdade social.

Toda renda adquirida pela Previdência é usada para sustentar trabalhadores e familiares que estão de acordo com:

  • Perca de capacidade de trabalho por motivo de doença
  • Acidente
  • Gravidez
  • Prisão
  • Morte
  • Idade avançada.

Com o INSS, quanto a pobreza diminuiu?

Através de uma pesquisa do IPEA, foram concluídos que se por algum motivo o programa fosse cortado, o número de pobres no Brasil aumentaria cerca de:

21 milhões que corresponde a 29% da população brasileira para 40%.

Bem como o número de pessoas em extrema pobreza, aqueles que recebem menos que um quarto do salário mínimo, dobraria passando dos 17 milhões.

O sistema ainda é ineficiênte, dessa forma vem trabalhando rigorosamente com foco na profissionalização da Gestão, modernização na rede de atendimento, melhorias nas unidades para melhor atendimento as pessoas e um espaço adequado aos seus servidores e na tecnologia e infraestrutura.

Como é feita a cobrança das contribuições do INSS?

Aos trabalhadores empregados o desconto é feito antes de receber o salário, conforme a lista:

Faixa salarialAlíquota
de até R$ 1.751,818,00%
de R$ 1.751,82 até 2.919,729,00%
de R$ 2.919,73 até 5.839,4511,00%

Valore além dos estabelecidos na tabela são cobrados uma taxa de até R$ 642,34 que é o máximo estabelecido.

Além dos descontos citados na tabela, a empresa ainda tem que pagar mais 20% do valor da folha, mesmo que houver salários acima do estabelecido, ou seja, é descontado do patrão e do funcionário.

Pensando nisso, você tem dúvidas de como isso é descontado no seu salário? 

Clique aqui para saber como exatamente é calculado o salário.

Os contribuintes individuais entram nessa também, os famosos autônomos ou contribuintes facultativos, os valores são um pouco diferentes.

Assim como os trabalhadores formais, os autônomos tem que contribuir com 20% do salário, em que o mínimo não pode ser menor que o piso salarial e o máximo o teto da previdência (R$5.839,45 em 2019).

Já o MEI (Micro Empreendedor Individual), este precisa contribuir com 5% do salário mínimo.

Tipos de contribuintes:

  • Empregado
  • Empregado doméstico
  • Trabalhador Avulso
  • Contribuinte Individual
  • Segurado Especial
  • Segurado Facultativo

Benefícios Previdenciários:

  • Aposentadoria por Idade
  • Aposentadoria por Invalidez
  • Aposentadoria por tempo de Contribuição
  • Aposentadoria Especial

Auxílios:

  • Auxílio doença
  • Auxilio acidente
  • Auxilio reclusão

Salários:

  • Salário Maternidade
  • Salário Família
  • Pensão por Morte

Esperamos que tenha ficado mais claro para você sobre o quanto você contribui, como e porquê.

Share.

About Author

Comments are closed.